As 8 Piores Decisões ao Fazer Turismo em Portugal

duoroUSE_3410433a-xlarge

duoroUSE_3410433a-xlargeVisitar Portugal é tão agradável que não é fácil identificar quais as piores decisões que se podem tomar ao viajar pelo país. Algumas são relevantes, outras meras curiosidades.

Ir ao Algarve em Agosto

As multidões nas praias, nas piscinas e nos supermercados deixar-lhe-ão pouco tempo para descansar.

Pedir uma imperial no Porto

Na Invicta, as pessoas bebem “finos”. Além disso, se a sua preferência vai para a marca de cerveja líder de mercado no centro e sul do país, lembre-se que aqui a preferência é para outra marca.

Lisboa: ignorar os carteiristas

Há relatos de imigrantes estrangeiros no Reino Unido que, nas suas férias, vêm a Portugal e dedicam-se a… roubar carteiras na Baixa lisboeta. O seu alvo principal é, claro, o turista da Europa do Norte, mas mantenha-se alerta.

Usar o ferry-boat entre Setúbal e Tróia

Os habitantes de Setúbal protestaram contra os novos “ferrys”, concluindo que seria mais barato dar a volta ao estuário do Sado para chegar até Tróia.

Experimentar novos pratos se não estiver disposto a isso

A gastronomia portuguesa é tão surpreendente que pode desagradar os estômagos mais sensíveis. Se não gosta verdadeiramente de experimentar coisas, não o faça só por insistência de outra pessoa. Em todo o caso, se mudar de ideias, concluirá que um prato de caracóis é um petisco admirável.

Procurar animação urbana no Alentejo

O Alentejo é, “de per si”, um caleidoscópio turístico a descobrir. Porém, mesmo as suas maiores cidades – como Évora – conservam uma aura de tranquilidade e sossego que não satisfazem o turista que procura as grandes metrópoles.

Ir a Viseu e não ver a Cava de Viriato

Trata-se de um dos mais enigmáticos monumentos de Portugal e, pelas suas próprias características, passa despercebido. Seja romano ou islâmico (não será lusitano, apesar do nome que lhe deram), esta fortaleza escondida entre as árvores e os campos estimula a imaginação.

Guimarães: visitar apenas o castelo

O castelo de Guimarães é importante pelo seu valor simbólico. Mas a cidade vale também, e sobretudo, pelo seu centro histórico, onde apetece passear pelas ruas impecavelmente conservadas e aproveitar as esplanadas.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *